Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

espaço da raquel

para escrever tudo o que me vier à cabeça, e partilhar cenas daquelas (coiso e tal, e tal e coiso) não me levem muito a sério, tenho mau feitio, mas no fundo sou boa pessoa..... (apesar de não jogar com o baralho todo)

espaço da raquel

para escrever tudo o que me vier à cabeça, e partilhar cenas daquelas (coiso e tal, e tal e coiso) não me levem muito a sério, tenho mau feitio, mas no fundo sou boa pessoa..... (apesar de não jogar com o baralho todo)

sobre (alguns) dos meus dias difíceis

- tenho sono

- sofro todos os dias de uma descomunal desmotivação

- a minha psicóloga está a fazer-me muita falta, e a minha auto estima está a ir para o "buraco"

- a maior parte dos humanos enervam-me, dão comichão, e impaciência

- não consigo pensar igual à maioria das pessoas, mesmo tentando sempre pôr-me do lado da outra pessoa

- tenho alturas do dia que me sinto completamente destruída, e esgotada

- os meus pensamentos deixam-me extremamente cansada

- tento todos os dias dar o melhor de mim, mesmo não me revendo na maioria da vivência desta, e nesta sociedade

- todos os dias tento ver a melhor da parte de estar viva, de me poder rir, de conseguir a amior parte das vezes dizer umas graças, e de na maioria das vezes não me levarem a sério exactamente por isto mesmo: porque “brinco” e digo muitas “graçolas” (logo, acham que estou sempre bem)

- estou sempre agitada porque sinto que é a melhor maneira, ou quem saberrefúgio para não ter tempo para pensar (demais), sim, eu penso demais.

- a falta de tempo não gera tanto medo.

- sou demasiadamente emotiva, e sim, isso esgota-me

- tenho dias que me sinto cansada de tanto esforço para viver numa sociedade que não entende quem é, pensa e age de maneira diferente da maioria do comum dos mortais.

e conclusão disto tudo, sim, viver neste momento está a cansar-me demais

(muitas mais coisas podiam ser acrescentadas a esta lista, mas não me apetece aborrecer as almas mais sensíveis que possam (por acaso ler esta minha publicação de cocó.)

Bom diaaaaaa, meus desajustados !!!

28166713_10210835709998423_4449916008942376686_n.j

 “Aqui estão os loucos. Os desajustados. Os rebeldes. Os criadores de caso. Os pinos redondos nos buracos quadrados. Aqueles que vêem as coisas de forma diferente. Eles não curtem regras. E não respeitam o status quo. Você pode citá-los, discordar deles, glorificá-los ou caluniá-los. Mas a única coisa que você não pode fazer é ignorá-los. Porque eles mudam as coisas. Empurram a raça humana para a frente. E, enquanto alguns os vêem como loucos, nós os vemos como geniais. Porque as pessoas loucas o bastante para acreditar que podem mudar o mundo, são as que o mudam.”


Jack Kerouac

Como mostrar e manter um certo nível (in)sanidade mental

  1. Na sua hora de almoço, sente-se no  seu carro estacionado, ponha os óculos escuros e aponte um secador de  cabelos para os carros que passam. Veja se eles diminuem a  velocidade
  2. Sempre que alguém lhe pedir para  fazer alguma coisa, pergunte se quer batatas fritas a acompanhar.
  3. Encoraje os seus colegas de  gabinete a fazer uma dança de cadeiras sincronizada consigo.
  4. Coloque o seu recipiente do lixo  sobre a mesa de trabalho e escreva nele: " Entrada  "
  5. Desenvolva um estranho medo de  agrafadores.
  6. Ponha café descafeinado na máquina  de café, durante três semanas. Quando todos tiverem perdido o vício da cafeína,  mude para café expresso.
  7. No verso de todos os seus cheques,  escreva, " referente a suborno"
  8. Sempre que alguém lhe disser  alguma coisa, responda, " isso é o que tu pensas "
  9. Termine todas as suas frases com  " de acordo com a profecia "
  10. Ajuste o brilho do seu monitor  para o nível máximo, de forma a iluminar toda a área de trabalho. Insista  com os outros que gosta assim.
  11. Não use pontuação nos seus  textos.
  12. Sempre que possível, salte  em vez de andar.
  13. Pergunte às pessoas de que sexo são. Ria, histericamente, depois delas responderem.
  14. Quando for à Ópera, cante com os  actores.
  15. Vá a um recital de poesia e  pergunte por que é que os poemas não rimam.
  16. Descubra onde o seu chefe faz  compras e compre exactamente as mesmas roupas. Use-as um dia depois do seu chefe  as usar. Tem ainda mais impacto se o seu chefe for do sexo  oposto.
  17. Mande E-mail's para o resto da  empresa, dizendo o que está a fazer, em cada momento. Por exemplo: " Se  precisarem de mim, estou na casa de banho".
  18. Coloque um mosquiteiro à volta da  sua secretária e ponha um CD com sons da floresta, durante o dia  inteiro.
  19. Quando sair dinheiro da caixa automática, grite.
  20. Ao sair do jardim zoológico, corra na direcção do parque de estacionamento, gritando, " salve-se quem puder! Eles estão soltos!
  21. À hora do jantar, anuncie aos  seus filhos: "devido à nossa situação económica, teremos de mandar embora um de  vós".
  22. Todas as vezes que vir uma  vassoura, grite, " Amor, a tua mãe chegou !"

 

Nota: não fui eu que escrevi este texto, mas bem que podia ter sido. Partilho com todos vós. São dicas sábias e que nos podem salvar, e ajudar a descomprimir daqueles dias de caca que todos nós já tivemos, temos e teremos.

 

(muahahahhahahaha) riso maquiavélico

Sinceridade, e sermos sempre nós mesmos

Sempre me confrontei com a sinceridade, esteve sempre presente na minha vida, e sempre me deparei com pessoas que não a conseguiam entender. E ainda hoje é difícil, confunde-se muito sinceridade com má educação, ou rebeldia, e são características bem diferentes num ser humano. Sempre me debati com esta dificuldade, e nunca conseguiam perceber que era sincera só porque sim, porque era, e porque não estava disposta a fazer “favores” a ninguém se achasse que não devia, ou se não concordasse com aquele momento, ou determinada situação.

 

Não me ria só por rir, não concordava só por concordar, e se não "ia à bola" com determinada pessoa, pura e simplesmente não bajulava ninguém só porque me dava jeito. Ou porque poderia pensar "aquela pessoas ainda me pode vir a dar jeito" ou pode um dia se cruzar no meu caminho e depois.....a coisa pode correr mal. Nunca pensei assim, e sei que muitos é exactamente assim que pensam, e agem. Seguia em frente, e percebia que aquela pessoas, e os seus valores não tinham em nada que ver comigo.

 

Este tipo de atitude para o comum dos mortais, não é aceite, nem atitude de um adulto “supostamente educado, e responsável”.

 

Desde sempre, a maioria me via com maus olhos, simplesmente porque era sincera. E hoje, isso ainda acontece, e muito.

 

Demonstrava o meu desagrado com determinadas coisas que aconteciam, ou tecia opiniões francas sobre acontecimentos, e ou situações que não me agradavam, nem se coadunavam com a minha pessoa. Desde que me lembro, sempre assim foi, sempre agi de acordo com a minha cabeça, e sentimentos, que quase sempre estavam à flor da pele. E ainda estão, mesmo com 40 anos. porque existe aquela teoria do "com a idade, isso passa-te" ...!!! Tretas. Não passou, nunca passou.

 

Passados tantos anos de ver que este é um traço determinante e bem marcado na minha personalidade, constacto que não sou pessoa a considerar, exactamente porque não faço favores de bajular ninguém, e sou sempre o que sou, franca, e transparente, percebo que este tipo de postura, e atitude continua a incomodar muita gente. Apesar de ser sempre educada. Sempre.

 

Consigo entendo também que para a maioria das pessoas isto não é de uma pessoa que possa viver em sociedade, porque a maioria acha que para se viver em sociedade temos de estar sempre em harmonia mesmo que isso implique eu ser, agir, e estar como os outros querem, e não como EU SOU.

 

Sei, e vejo que isto se paga, e bem, sai-nos caro, e que a maioria nos vira as costas. Mas também sei que muitos (ainda) defendem o direito a serem como são, sem mais, nem porquês. (e ainda bem que ainda existem pessoas assim, não é de facto para todos)

 

Continuo a preferir ser assim, prefiro que me coloquem de parte, e não se dêem a mim, quando eu também não me dou a essas mesmas pessoas, simplesmente porque não gosto das atitudes, e posturas que adoptam vida.

 

Não me fiz sozinha, mas educaram-me para ser verdadeira, e acreditar sempre na verdade, nos bons valores, e acima de tudo para ser eu própria que é o que sou, e tenho sido sempre desde que me lembro pensar, e agir. 

 

A vida, mesmo com este dissabores, vale bem mais a pena ser vivida assim, do que estar sempre com uma máscara e postura que pouco, ou nada tem de verdadeiro.

 

Quem é real, e genuíno, não tem de se lembrar de nada, tem de ser simplesmente o que é. 

 

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D