Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

espaço da raquel

para escrever tudo o que me vier à cabeça, e partilhar cenas daquelas (coiso e tal, e tal e coiso) não me levem muito a sério, tenho mau feitio, mas no fundo sou boa pessoa..... (apesar de não jogar com o baralho todo)

espaço da raquel

para escrever tudo o que me vier à cabeça, e partilhar cenas daquelas (coiso e tal, e tal e coiso) não me levem muito a sério, tenho mau feitio, mas no fundo sou boa pessoa..... (apesar de não jogar com o baralho todo)

03.Dez.18

das coisas bonitas que o Natal ainda tem

E chegámos a dezembro, ao mês do Natal, umas das comemorações que mais gosto, não pela festa, nem presentes, mas sim pelo que o Natal representa para mim, e de tudo o que me lembro desde pequena.

Desde miúda que vibrava quando se aproximava esta época, ficava em êxtase quando sabia que a minha mãe, e o meu pai naquele determinado dia, que por hábito era no dia 1 de dezembro, guardavam a tarde para os três juntos fazermos a nossa árvore de natal, decorar a preceito a nossa casa, e fazer o presépio com aquelas figuras tão originais e que ainda hoje se vendam em feiras típicas,  era mesmo uma celebração, uma verdadeira festa, atrevo-me a dizer que era um ritual. Reinava a alegria, e tenho momentos tão bons e tão felizes dessa altura que talvez seja por isso que sempre adorei a época natalícia, e nunca foi pelo que me davam porque os meus pais não me davam muitos presentes, escolhiam 2 ou 3 que eu verdadeiramente desejasse, mas era mesmo por estarmos os três em família, tranquilos, felizes e na casa dos meus pais onde passei uma infância, e parte da minha adolescência de maneira tão feliz.

Neste momento dou-me conta que o verdadeiro espírito de Natal parece ter morrido um pouco, parece ter-se perdido. O verdadeiro espírito natalício, a verdadeira palavra Natal, espírito da Família e da Solidariedade. 

Hoje tudo é feito à pressa, correrias, e azáfama para tudo, desde a loucura para comprar presentes, a mesas fartas que na maioria das vezes estão vazias de pessoas, aconchego, partilha, e conversas entre família.

O meu Natal ainda se mantém como era vivido há uns anos atrás em casa dos meus pais, acima de tudo porque continuamos a conservar a partilha, a companhia, e o verdadeiro significado da palavra Família, e da palavra Natal, e só por isso me sinto muito feliz por continuar a viver o meu Natal assim, tal como sempre foi, junto dos meus pais, e de grande parte da minha família. Porque para mim o Natal é mesmo isto, Amor, Partilha, Solidariedade, e Família.

2 comentários

Comentar post