Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

espaço da raquel

para escrever tudo o que me vier à cabeça, e partilhar cenas daquelas (coiso e tal, e tal e coiso) não me levem muito a sério, tenho mau feitio, mas no fundo sou boa pessoa..... (apesar de não jogar com o baralho todo)

espaço da raquel

para escrever tudo o que me vier à cabeça, e partilhar cenas daquelas (coiso e tal, e tal e coiso) não me levem muito a sério, tenho mau feitio, mas no fundo sou boa pessoa..... (apesar de não jogar com o baralho todo)

26.Set.19

A vida dá muitas voltas, e a minha não deu essa volta sobre a maternidade.

No outro dia estava a ler um artigo sobre as mulheres serem ou não mães. O artigo referia entre outras coisas que a mulher não nasceu para ser mãe, mas para ser o que ela quisesse ser, e houve um comentário interessante e diferente de uma das leitoras, que foi: Toda a mulher deveria esperar pelos 40 anos para ser mãe, e caso conseguisse viver os 40 felizes sem filhos que era melhor não ter.

Em parte revi-me no comentário embora no meu caso o não ter sido mãe, (não por esse motivo), mas sim por outras razões bem mais profundas, sentimentais mas principalmente e acima de tudo por questões de saúde.

Agora olho para trás, e penso, será que me arrependo? Não, ninguém se arrepende de uma coisa que não fez, não teve, não realizou, eu penso assim. Embora, pense sim como seria, acho que tudo na vida acontece por uma razão, e comigo foi exactamente assim. Se num futuro próximo irei sentir falta? Talvez, quando for para velhinha, e não tiver quem me ampare, mas também quem me garante que seria um filho que me iria amparar? Sim, tendo em conta as muitas tristes noticias sobre o abandono de idosos como todos nós sabemos que existe.

Há que desmistificar assuntos que têm algum peso, e este, é sem dúvida um deles, quando nos questionam sobre isto, e nos perguntam, e querem saber o porquê de não termos tido filhos. Se ainda vamos ter, se queremos, se desejamos.!!

Pensei durante algum tempo que o dito relógio biológico não funcionava muito bem, e que estava demorar para dar sinal, podia ser preguiçoso, ou quem sabe até ter falta de ponteiros (brincadeira) 

O  meu instinto maternal nunca este muito marcado, presente em mim, isso é um facto. Sim, claro que pensei nisso, sobre isso, e que gostava, e naquela determinada altura até achava que queria mesmo, mas a verdade é nunca desejei verdadeiramente, depois e com toda a história de vida que passei, parece que algum desejo que tinha se desvaneceu.

Idealmente, e em termos biológicos, é até aos 30 anos que a mulher tem maior probabilidade de conseguir engravidar, o que comigo já não vai acontecer com certeza.

Será que antigamente as mulheres não queriam ou não pensava em ter filhos como hoje em dia acontece, mas como a sociedade era diferente "tinham" que os ter? As dúvidas em se ter ou não um filho são recentes? Será que se deve à mudança da sociedade/mentalidade/valores?

Não sei, não tenho certezas sobre este tema, só sei que no meu caso quero pensar e acreditar que vou envelhecer com o meu marido ao lado, e esse sim me irá amparar e dar a mão sempre que eu precisar, e se assim não for, então que sejam todos os meus sobrinhos, primos, e afilhados que me façam esse "favor", claro está, se não for pedir muito = )

30 comentários

teorias absolutamente espectaculares

Pág. 1/2