Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

espaço da raquel

para escrever tudo o que me vier à cabeça, e partilhar cenas daquelas (coiso e tal, e tal e coiso) não me levem muito a sério, tenho mau feitio, mas no fundo sou boa pessoa..... (apesar de não jogar com o baralho todo)

espaço da raquel

para escrever tudo o que me vier à cabeça, e partilhar cenas daquelas (coiso e tal, e tal e coiso) não me levem muito a sério, tenho mau feitio, mas no fundo sou boa pessoa..... (apesar de não jogar com o baralho todo)

12.Nov.19

A Era Dos Muros

Há 30 anos convencemo-nos de que tinha sido derrubado o derradeiro muro ocidental.
Eufóricos, voltámos a cantar "The Wall", que já tinha 10 anos.
Emocionámo-nos ao ver "Good Bye, Lenine!".

Passados 30 anos, os fantasmas voltaram e percebemos que nos enganámos...

74607662_10220070338485515_3830171166497046528_n.j

 

 

08.Nov.19

Os abraços importam!

O Presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa, abraçou, em nome de todos nós, de todos os portugueses, Manuel, o sem abrigo que num gesto grandioso salvou o bebé recém nascido encontrado na passada terça-feira num contentor do lixo, em Lisboa.

Sim, ele quer abraços, e afectos também. E tenho cada vez mais a certeza que estes afectos e abraços podem salvar vidas, e pessoas em desespero, ou solitárias. Quem de nós alguma vez abraçou um sem abrigo? Ou Alguém desconhecido só pelos simples facto de esse alguém precisar mesmo de atenção? Quantos de nós olhámos para um sem abrigo, olhos nos olhos, sem fugir com o nosso olhar, sem olhar para o lado, como se não tivéssemos visto? Para uma pessoa que só vive com a indiferença, um gesto destes é enorme, e fará com toda a certeza a diferença, sim, é triste a vida ser assim com o ser Humano, mas é mais pura verdade, e acontece todos os dias na nossa sociedade. Não olhamos com olhar de ver para o próximo, poucos o fazem.

A solidão, tristeza e infelicidade são alguns dos elementos da vida de muitos sem abrigo, e que se vão intensificando com a forma como a sociedade, que somos todos nós os trata, da maneira como lida com eles. E sabemos que o problema dos sem abrigo não se resolve só com casa e emprego, exige antes de mais uma reabilitação psicológica, e acompanhamento profundo e continuo, e tal pressupõe que o indivíduo em questão queira, e tenha força de vontade para mudar, sim mudar para uma nova situação de vida com a qual se calhar pouco conviveu, dar a este homem, como a tantos outros que vivem em situações semelhantes oportunidades de emprego, cuidados de saúde, uma vida digna, mas acima de tudo torná-lo ainda mais apto e preparado para a sociedade, e não, não é simples, mas acredito que é possível.

Este foi um gesto de alguém que sobrevive na rua e salvou uma vida humana. E nós, quantos de nós daríamos a mão e atenção a alguém que realmente precisasse?! Vamos começar a olhar mais para o lado, a ver melhor o próximo, com todas as suas dores, angústias,  sofrimento e certamente com uma certa revolta, porque haverá sempre alguém que poderá um dia precisar de nós, e, poderemos no momento sermos os únicos a conseguir fazê-lo.

ajude sempre alguém porque naquele momento poderá ser o único a conseguir fazê-lo

07.Nov.19

Com Sophia de Mello Breyner, a vida é poesia

Esta gente cujo rosto
Às vezes luminoso
E outras vezes tosco

Ora me lembra escravos
Ora me lembra reis

Faz renascer meu gosto
De luta e de combate
Contra o abutre e a cobra
O porco e o milhafre

Pois a gente que tem
O rosto desenhado
Por paciência e fome
É a gente em quem
Um país ocupado
Escreve o seu nome

E em frente desta gente
Ignorada e pisada
Como a pedra do chão
E mais do que a pedra
Humilhada e calcada

Meu canto se renova
E recomeço a busca
De um país liberto
De uma vida limpa
E de um tempo justo

Com Sophia de Mello Breyner Andresen, "Geografia"

06.Nov.19

O Mundo que (parece) não ter sido feito para todos nós.

Principalmente quando não nos ajustamos ao Mundo em que vivemos, quando não nos conseguimos encaixar numa sociedade por sentirmos demasiado, por que sofremos, porque nos doi a alma, por sentirmos em demasiada coisas que não se passam connosco mas que nos doem, nos indignam, e nos afetam.

(desabafos...)

Quando nos levantamos todos os dias e percebemos perfeitamente que o Mundo não está para nós, ou seremos nós que não estamos para o Mundo, e não percebemos por nos sentimos perdidos em muitos momentos em que tudo parece estar mal, que tudo nos parece injusto, cruel. Sentimo-nos cansados de tanto sentir, de tanto nos doer, e de nada, ou quase nada conseguirmos fazer.

(desabafos...)

Como se sentem as pessoas que todos os dias sofrem? Têm dor, não têm como pagar as suas contas, os seus medicamentos, as chamadas coisas básicas que estão ao acesso da maioria, mas não dessas pessoas. Que estão por sua própria conta. Muitas das vezes ficam isoladas, porque não têm como chegar a serviços, a médicos, a saúde que devía estar ao alcançe de todos, este Mundo não está para todos nós.

Sempre achei que podía mudar o Mundo, era dos meus desejos em miúda, aliás, sempre foi, acho que podemos Mudar o mundo sim, acho mesmo que podemos, mas o que desejávamos mesmo era conseguir mudar o Mundo de todos mesmo, os que sofrem, se sentem sós, estão doentes, precisam de apoios, e ajudas, e não têm, porque é tudo demasiado lento, penoso, e as pessoas já cansadas de lutar, desistem. A vida para muitos é demasiadamente bruta. Demasiadamente injusta, violenta. Pudesse eu mudar o Mundo,  o Mundo que é de todos nós e parece cada vez mais que não foi feito para todos, e faria magia, não pensava duas vezes, sim mudava muito para que todos pudessem sentir o que realmente é a Vida, sem dor, sem sacrifícios, com dignidade, acima de tudo para que todos pudéssemos sentir o bom que é viver, mas principalmente o que é sentirmo-nos realmente Vivos.

(são desabafos, mas sentidos..)

Nota: podería falar abertamente sobre o que realmente me tem incomodado muito nestes últimos tempos, mas vou poupar-vos a isso, é a minha maneira de não "contagiar" ainda mais este Mundo, e quem me lê...)

05.Nov.19

Qual será a verdade de Sócrates?

José Sócrates começou a ser interrogado no âmbito da Operação Marquês, e tem sido ouvido durante estes últimos dias,  como devem ter visto, tem andado a proferir algumas palavras antes de entrar para o respectivo interrogatório, que foram poucas, porque o homem quase se recusa a falar com os meios de comunicação, e diz ele: “Venho aqui repor a verdade”, e eu pergunto-me, mas que verdade será essa? Mas que terá este homem a dizer para continuar a fugir do que está mcada vez mais claro e mais visível aos olhos de todos nós.

Eu sou uma pessoa nervosa pronto que fazer, e as injustiças, a falta de vergonha na cara, e gente que tem a mania que lá por ter dinheiro e algum poder, acham que podem comprar tudo e todos, gente assim confesso que me dá alergias, assim picos na pele...!!!

Este homem tem uma coisa que me afecta particularmente, acha-se inocente, acha-se muito esperto, e acha que todos nós vamos na cantiga, e que somos uma cambada de totós, e isso afecta-me porque não somos todos burros, porque não andamos com vendas nos olhos, (ao contrário do que ele pensa), e há por ai muitos mais, mas, assim de repente, e tendo em conta as últimas notícias, este caiu na rifa, porque a verdade é que eu também não teria tempo (que é coisa que ultimamente me falta, e muito)  para elaborar uma lista toda “catita" e generosa com o nome dos que se julgam "mais espertos" neste país. 

A ultima, é que a mãe de José Sócrates recebeu uma herança de última hora, caso contrário teria falado nos 5 milhões de euros, e que lhe deu parte do dinheiro que ele gastou posteriormente em viagens, mas então afinal de contas para que precisou Sócrates de pedir à CGD um empréstimo para ir estudar para Paris? E já agora, onde estão as provas da herança? Tem de haver documentos, ou não?! Sendo da mãe, do amigo, do vizinho, do primo,  além de ser um "homem rico", o descaramento desta criatura é realmente infinito.

Eu, neste momento só tenho uma coisa a declarar, estou mesmo muito desiludida com os meus familiares e amigos,  sim, e logo eu que pensava que a minha família e amigos eram o melhor do mundo, (magoei) meus caros informo que estou à espera das casas, dos milhões, e respectivas viagens. Grata.