Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

espaço da raquel

para escrever tudo o que me vier à cabeça, e partilhar cenas daquelas (coiso e tal, e tal e coiso) não me levem muito a sério, tenho mau feitio, mas no fundo sou boa pessoa..... (apesar de não jogar com o baralho todo)

espaço da raquel

para escrever tudo o que me vier à cabeça, e partilhar cenas daquelas (coiso e tal, e tal e coiso) não me levem muito a sério, tenho mau feitio, mas no fundo sou boa pessoa..... (apesar de não jogar com o baralho todo)

18.Set.19

Irritabilidade (S)

Como já mencionei aqui no blog diversas vezes, trabalho numa empresa em open space, ou seja, é tudo aberto, as pessoas falam e toda a gente ouve, não existe nenhum privacidade, etc. e tal, e como também já disse, Odeio. Odeio, e Odeio, já disse que odiava?! Ok, passemos à frente, acho que este conceito é uma total falta de respeito pelos trabalhadores numa empresa, e existem inúmeras razões (que vos posso dizer, mas acho que seria enfadonho) pelas quais não sou apologista num ambiente de trabalho em open space, mas pelos visto está cada vez mais na moda.

Por aqui, o que estes seres iluminados quiserem fazer foi “juntar a equipa” para trabalharmos melhor, e existir mais coesão, e espírito de entreajuda entre todos, conclusão, o que se tem vindo a notar é precisamente o contrário, e neste momento estamos cada vez mais afastados, distantes, o diálogo piorou, e as relações também, as pessoas já não têm sequer paciência uns para os outros, ou seja isto virou uma rebaldaria, um verdadeiro mercado (atenção nada contra, adoro mercados, praças e afins) mas numa empresa têm de existir o mínimo de privacidade e algum silêncio, o que não acontece num mercado, ou numa praça, certo?! Foi precisamente nisto que esta empresa se tornou, como não existem paredes nem portas a dividir gabinetes como se de salas normais se tratasse ouvimos tudo, e se um fala alto, e por acaso o telefone toca, os outros tendem a falar ainda mais alto, outra, são os colegas a passarem atrás das nossas costas para irem aos respectivos armários a toda a hora, são os encontrões nas cadeiras, sei das conversas de todos, onde foram às compras, o que fizeram no fim de semana, o que os filhos jantaram, e por ai fora. É coisa fantástica.

E tudo isto para dizer que as modernices/ideias nestas trampas de empresas dão nisto, impaciência, irritação, frenesim, impetuosidade, e foi nisto que estas sumidades destes seres pensantes que “mandam” tornaram esta empresa: um sitio impossível de se estar, e trabalhar.

18.Set.19

Luz pirilampescamente brutal

Pirilampo: inseto coleóptero que possui órgãos bioluminescentes.
A solução de iluminação para o futuro!!!
Para acabar com as centrais hidroeléctricas (porque nas barragens a água evapora-se) e com as termoeléctricas...

(isto é o que dá quando temos tempo livre: temos imaginação até para pesquisar as vidas dos pirilampos)

Luz pirilampescamente brutal.jpg

 

 

 

18.Set.19

Dedicado a todas as mães que deixaram suas crias lindas nas escolas!

O regresso à escola começou, e com um novo ano lectivo ainda fresquinho e a começar são muitas as chamadas de atenção, alertas e pedidos que todos os pais certamente fazem aos seus filhos.

No meu tempo era assim e agora não será muito diferente, tirando a parte que nós, os da minha geração naquela altura éramos muito mais despachados e com um nível de responsabilidade e maturidade bem maior que os miúdos de agora, pelo menos é o que vejo de diferente nas crianças/jovens neste momento.
Avisos como: não te metes com as pessoas, come o lanche, respeita os teus colegas e professores, não fales com estranhos, olha o respeito, não se ouviam na minha casa, eu sabia que era obrigatório, estava implícito no meu regresso à escola estas coisas tão normais como o respeito para e com os professores e colegas, e o dar o meu melhor, era para aquilo e somente aquilo que os meus pais me exigiam, dar o meu melhor, estudar, aproveitar as oportunidades para aprender coisas novas, matérias, logo era mais do que normal que "desse" isso aos meus pais, e a mim própria. 

Os tempos são diferentes, muito diferentes e sabemos que muitas crianças nem preparadas estão para estudarem sozinhas, e não têm certamente a liberdade que eu tinha naquela altura, com 11 anos a minha mãe confiou-me a chaves de casa e eu com tamanha responsabilidade percebi que as chaves de casa eram um grande voto de confiança que me estavam a dar e senti que teria de cumprir e estar à altura daquele desafio, e  com muito sentido de dever.

Apesar de tudo e dos tempos difíceis para uma criança/jovem de hoje, e, compreendendo muitos medos e ansiedades de muitos dos pais, sou mesmo da opinião que é preciso soltar as amarras, e deixá-los voar tendo a plena certeza que fizemos e dêmos o nosso melhor na educação e acompanhamento e que eles mesmos nos vão retribuir  aproveitando o melhor que a escola e a educação nos pode dar.

foto591.jpg

16.Set.19

EMEL, odeio você

E bastaram 5 minutos, sim, 5 min e levei uma multa à porta de minha casa. A garagem do meu prédio é normal, não é nenhum salão de festas, dá para os carros do prédio que têm casas compradas, e não lugadas, foi assim que o condominio decidiu optar para todos termos lugares, mas e tendo em conta que as coisas mudam, e muitas das vezes mudam para pior, foi o caso, e agora até quem aluga casa tem direito a lugar de estacionamento na garagem, assim sendo é claro que não dá para todos.

Conclusão, hoje trouxe o carro e à hora de almoço fui a casa para quê? Isso mesmo para almoçar, para poupar e não gastar dinheiro na rua e ainda por cima comer mal, ora pois com certeza, não almocei mal, mas paguei como se tivesse almoçado, porque foram 6 euros, por 5 minutooooooooooooooooooooooossssssssss, atrasei-me 5 min e levei com uma multa de 6 euros é pá fiquei verde, vermelha, azul, às bolas, bufei por todo o lado, até me subiram os calores Tão furiosa, mas tão, que quando vinha embora para o trabalho apanhei um funcionário da EMEL que andava a "passar revista às tropas", vulgo a possíveis infractores, prevaricadores, os chamados  fora da lei   e tive um dedinho de conversa com ele, foi uma jóia de moço, mas realmente mesmo por 5 min a EMEL nem quer saber e muitas vezes são eles que deixam passar  só que depois levam na cabeça explicou-me ele, até pode ser mentira, mas eu acreditei porque o moço pareceu-me de facto verdadeiro, ainda apelei, e fiz beicinho, mas sem surtir nenhum efeito... pfffffff..!!

Tenho cá para mim que a EMEL deve ser uma das entidades mais odiadas no país inteiro, sim no país inteiro, e deve ser mesmo por isto.

Se queres poupar e vais a casa almoçar, tem cuidado com a EMEEEEEEEL, tem cuidado com a EMEEEEEEEEL

(fazer o favor de cantarolar como se fosse a música do toy)

12.Set.19

Setembro, mês de vindimas.

Esta Mona Lisa está sempre atenta, e não lhe escapa nada.

Após a Revolução, em França foi adoptado um novo calendário com 12 meses de 30 dias cada, a que eram acrescentados 5 dias (6, nos anos bissextos) no fim do ano, para o alinhar com o ano trópico.
O primeiro mês desse novo calendário, que vigorou entre 1792 e 1805, era o "vendémiaire" ("vindemiário", ou mês da vindima).  🍇🍾🍷

69614030_10219422024958082_9050655003697479680_n.j