Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

espaço da raquel

para escrever tudo o que me vier à cabeça, e partilhar cenas daquelas (coiso e tal, e tal e coiso) não me levem muito a sério, tenho mau feitio, mas no fundo sou boa pessoa..... (apesar de não jogar com o baralho todo)

espaço da raquel

para escrever tudo o que me vier à cabeça, e partilhar cenas daquelas (coiso e tal, e tal e coiso) não me levem muito a sério, tenho mau feitio, mas no fundo sou boa pessoa..... (apesar de não jogar com o baralho todo)

afectos, sentimentos, dor, sofrimento!!!!!!!

se pudesse trocar o “teu sofrimento”, pelo meu, trocava, se pudesse, com um estalar de dedos, fazer desaparecer a “tua dor” com todas as minhas forças, faria, sofria por ti, morria por ti, ou seja, muitos “ses”, sem que NADA possa mudar. Sempre ouvi dizer que cada um carrega a “cruz” que consegue suportar, mas acho que algumas “cruzes” são injustas, és daquelas pessoas a quem nada devia acontecer e porquê? Porque és bom, és bom demais, tens um coração do tamanho do mundo para ajudar tudo e todos, és puro, sincero, amigo, companheiro, um homem, como existem poucos. Por isso continuo a achar que tudo isto é muito injusto, e depois aparece a revolta, mas a revolta é contra quem? Ninguém, porque ninguém tem culpa do que está acontecer.

Afinal de contas, como tantas outras pessoas, sempre me achei capaz de fazer coisas, de aprender, de realizar, mas neste momento da minha vida, cada vez mais sinto que me “tiraram” essa energia que tanto me caracterizava. Sinto-mo muito cansada, a remar contra a maré, desprovida de qualquer força e coragem para batalhar seja pelo que for. Sem dúvida que as experiencias e vivências fazem de nós, pessoas mais ou menos boas, companheiras, preocupadas com o próximo, atenciosas, sérias, revoltadas ou agressivas, sem dúvida que sim.

Planos? Nunca mais, penso sim, no presente, nunca no futuro, fazer projectos a curto prazo, não tem dado certo, e sempre que a dificuldade é maior, é quando e também os problemas mais graves e sérios aparecem.

A verdade é que sei que esta pessoa é a minha pessoa. E que não há, não pode haver, ninguém que tenha mais a ver comigo. Sei, sinto-o. Durante algum tempo, muito tempo, talvez anos, achei que gostar muito de uma pessoa era sofrer por ela, viver com o coração nas mãos, nunca saber como é que ia ser o dia seguinte, estar sempre à espera de receber o retorno de tanto investimento emocional. A ideia de uma pessoa bem resolvida, afectuosa, dedicada, tolerante, generosa, que desse atenção a detalhes ínfimos, que me conseguisse surpreender, que fosse cúmplice e me fizesse rir, não passava disso mesmo…..ideias. Claro que sim. Essa pessoa nunca existiu. E depois ele apareceu. ELE, e foi-me mesmo assim, de um dia para o outro, a principio foi estranho, achava que era tudo bom demais, tudo o que se estava a passar comigo, era bom demais para mim própria.

Tanta simpatia, tanta generosidade, tantos gestos surpreendentes, só podiam ser coisa para a primeira semana. A segunda semana passou, a terceira, um mês, um ano, dois, três…. E as coisas não mudaram. Só mudou o que eu sinto, que tende a ser sempre mais e maior. Às vezes discutimos, às vezes temos crises, às vezes somos parvos. Mas a diferença, a grande diferença, é que agora sinto uma segurança e uma confiança que nunca senti. Sei que amanhã ele não vai acordar com uma daquelas más disposições que acabavam numa crise de afectos e existencial devastante. Sei que para a semana não vai ter uma daquelas reacções que deitam tudo a perder e que ninguém entende, como se fosse outra pessoa qualquer. E ele sabe o mesmo. Não vivo na constante ansiedade de quem está sempre à prova, a tentar mostrar qualquer coisa. E esse conforto, essa sensação, é exactamente o que eu espero de uma relação. É uma relação adulta, e é por isso que sei que estou feliz, porque sei que apesar de tudo, das nossas grandes dificuldades, e dos sufocos que ultimamente temos vivido, esta é a minha pessoa e que não pode haver ninguém melhor para mim. E porque? Porque não há, não pode haver. Por isso, luto por ti, lutarei sempre e é nessa luta que irei buscar essa força para estar junto a ti, sempre, especialmente agora.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D